Os jovens da Vila Madalena conseguirão mudar o mundo?


Dizem que se a Vila Madalena acabasse, 80% dos projetos sociais em andamento no Brasil desapareceriam. O bairro é descolado, com vida cultural agitada e com uma moçada engajada na Nova Economia.

Os jovens da Terceira Revolução Industrial eram viciados em trabalho e acreditam no mercado como potencializador do sucesso, do dinheiro e como regulador das relações sociais.

Os jovens da Vila Madalena, representantes da Quarta Revolução Digital, não acreditam em acumular ativo fixo, como carro, imóveis, etc, adoram compartilhar, são socialmente responsáveis e buscam Propósito para suas vidas. O mercado não é mais uma unanimidade.

Mas qual projeto de mudança possui essa rapaziada?

Qual modelo econômico pode responder aos anseios por distribuição de renda, produtividade e preservação ambiental?

Quais formas de trabalho podem deixar a atividade humana mais leve, participativa e com Propósito?

Os jovens da Vila Madalena precisam desenhar uma nova proposta política, social, econômica e espiritual. Fácil, né?

Mas o maior desafio é como envolver os movimentos sociais, de forma que a dinâmica não seja algo descolado das bases da sociedade brasileira.

Não é claro se nas próximas eleições haverá algum novo projeto para o Brasil, que nos tire do atraso e do sistema oligárquico.

Também não se sabe se existe uma linha principal defendida pela moçada do Beco do Batman.

O debate está aberto e o mercado precisará descobrir novos caminhos para se relacionar com estes jovens. O mesmo vale para o Estado brasileiro, que necessitará de outros rumos.

O desafio está posto e ultrapassa em muito os bares e os espaços de coworking da nova classe de líderes brasileiros.

18 visualizações