Garotos fazem tudo igual e quase nunca chegam ao fim


Já pensaram como seria nossa vida se a cada obstáculo caíssemos no choro em nossos empregos?

O estilo de liderança familiar trabalha no nível da confiança ilimitada na pessoa e deixa em segundo lugar a qualidade técnica e a avaliação dos resultados atingidos. Quando nossos jogadores caem no choro a todo momento, fica claro que este grupo é movido pelo pacto da confiança e os aspectos técnicos ficam em segundo plano.

É aquela história da "família Scolari" que passa por cima do desempenho em razão do pacto da confiança. Somente isso explica porque nosso técnico não consegue mudar a equipe. Afinal, ele "confia" nos seus jogadores, não é Fred?

Nossa seleção está servindo para uma reflexão na forma como conduzimos nossas equipes. Ser um líder educador não significa passar a mão na cabeça. É preciso lançar o desafio e acompanhar, corrigindo a rota. Ou seja, precisamos de um coach não de um paizão.

Administrações paternalistas não se sustentam e depois só resta buscar culpados e começar tudo novamente. Perda de tempo e de dinheiro.

Garotos perdem tempo pensando Em brinquedos e proteção Romance de estação Desejo sem paixão Qualquer truque contra a emoção

0 visualização